Publicação / CREPOP


Olhares: A Violência Policial no Cotidiano das/os Psicólogas/os nas Políticas Públicas

Olhares: A Violência Policial no Cotidiano das/os Psicólogas/os nas Políticas Públicas

Publicado em 4 de junho de 2020
Categoria: CREPOP
O estado de São Paulo é marcado por grandes aglomerados populacionais e profundas desigualdades sociais. São mais de 44 milhões de habitantes, em quase 250 mil quilômetros quadrados, representando 21,6% da população brasileira. É na experiência objetiva e subjetiva do viver na cidade ou no campo que constituímos nossas relações, afetos, memórias e sentimentos. Somos as artes, as culturas. Somos as múltiplas histórias e trajetórias do povo brasileiro que construiu e constrói diariamente nosso estado de São Paulo, considerado o “motor da economia”, muitas vezes o símbolo do desenvolvimento.

Detalhes Versão PDF


Referências técnicas para atuação de psicólogas(os) em Programas de Atenção à Mulher em situação de Violência

Referências técnicas para atuação de psicólogas(os) em Programas de Atenção à Mulher em situação de Violência

Publicado em 28 de fevereiro de 2013
Categoria: CREPOP
O psicólogo que trabalhará com mulheres violentadas deve, a principio, estabelecer reflexões sobre a situação de violência e estar pronto para participar de um grupo interdisciplinar. O profissional deve prestar atendimentos psicológicos em grupo ou individuais, elaborar laudos e pareceres do que foi falado e realizar avaliações do caso e do psicológico da paciente. Poderá encaminhar o sujeito em questão para outros setores, se for necessário, atender o autor da violência, emitir atestados e declarações necessárias e estabelecer atividades de prevenção contra a violência na comunidade.

Detalhes Versão PDF


Referências técnicas para a atuação das(os) psicólogas(os) no Sistema Prisional

Referências técnicas para a atuação das(os) psicólogas(os) no Sistema Prisional

Publicado em 30 de novembro de 2012
Categoria: CREPOP
A ação do psicólogo dentro desse setor é voltada para avaliações psicológicas - tanto dos presos , quanto dos familiares - elaboração de relatórios, realização de laudos e pareceres sobre as situações em que o profissional de deparou, participação nas relações institucionais e realização de pesquisas. Poderá programar e estabelecer eventos de conscientização, coordenar a biblioteca e fazer pronto atendimento aos presos, atuar em rede e elaborar projetos e realizar reuniões para que se o sistema prisional.

Detalhes Versão PDF